A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro prestou homenagem nesta segunda-feira (8) a Cleriston Pereira da Cunha, o Clezão, que faleceu no dia 20 de novembro após sofrer um mal súbito no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília (DF).

Clezão era um dos milhares de manifestantes que foram presos após a manifestação do dia 8 de janeiro de 2023 que terminou em atos de vandalismo contra o patrimônio público, com as sedes dos Três Poderes depredadas.

Em seus stories do Instagram, Michelle publicou uma imagem do homem de 46 anos, juntamente com as datas de nascimento e morte do mesmo, com a legenda: “Patriota Clezão”.

Cleriston da Cunha nasceu em Ramalho, na Bahia, mas morava em Brasília, onde era empresário. Ele sofria de vários problemas de saúde, como diabetes e hipertensão, e tomava remédios controlados.

Por causa de seu quadro clínico, os advogados de Clezão solicitaram em maio de 2023 a sua soltura e a Procuradoria-Geral da República (PGR) emitiu um parecer favorável, recomendando a liberdade provisória por conta de suas comorbidades. Porém, o pedido jamais foi analisado pelo responsável pelo processo, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A morte de Clezão gerou revolta entre familiares e amigos, que acusaram a negligência do Estado.

O caso também reacendeu o debate sobre a prisão de manifestantes do dia 8 de Janeiro, muitos dos quais ainda aguardam julgamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies