O Senado Federal planeja gastar mais de R$ 1,3 milhão em licitações nos próximos dias. Segundo o portal Metrópoles, o orçamento será destinado para aquisições de sacos de café, material de academia para uso da Polícia Legislativa e colchões para os imóveis funcionais dos senadores da Casa.

A previsão é de que as compras ocorram entre o final de julho e início de agosto.O objetivo, de acordo com o Senado, é suprir as necessidades das unidades administrativas e legislativas da Casa durante 365 dias, além de manter os “níveis ideais de estoque deste objeto de uso contínuo e diário nas diversas unidades administrativas”.

Desta quantia, quase metade é destinada exclusivamente para adquirir “café em pó superior”. Ao todo, a Comissão Permanente de Licitação calcula um gasto na ordem de R$ 627 mil para compra de 30 mil embalagens de 500g ao preço unitário de R$ 20,9. Em 2020, o Senado pagou R$ 9,88 por cada pacote do produto, um dos mais atingidos pela alta da inflação.

O segundo maior gasto é voltado para o fornecimento de equipamentos de academia para o Centro de Treinamento da Polícia do Senado (CTPSF). Segundo a Casa Legislativa, serão mais de R$ 563,5 mil de dinheiro público destinados para financiamento do “Programa de Ginástica Laboral e demais atividades desenvolvidas pelo Serviço de Saúde Ocupacional e Qualidade de Vida no Trabalho”.

Outra despesa prevista nas licitações é para a compra de 55 novos colchões para uso dos imóveis funcionais, em um gasto de R$ 157.250.

As residências são usadas pelos senadores e familiares de fora de Brasília que vem à capital federal durante o exercício do mandato e não desejam arcar com diárias em hotéis.Serão 30 conjuntos de cama box com colchão de molas “solteirão” ao preço unitário de R$ 2,2 mil e outros 25 colchões de molas queen ao custo de R$ 3.650 cada.

Fonte: Pleno News