Afastado por seis meses da presidência do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em razão de uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-deputado Roberto Jefferson deve deixar de forma definitiva o comando da sigla. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (18) pelo colunista Guilherme Amado, do site Metrópoles.

De acordo com o jornalista, Jefferson já teria informado a aliados sobre sua decisão. A sucessora dele deve ser a atual presidente em exercício da legenda, Graciela Nienov. O partido definirá o novo comando em uma convenção marcada para acontecer no próximo dia 30.

De acordo com o jornalista, Jefferson já teria informado a aliados sobre sua decisão. A sucessora dele deve ser a atual presidente em exercício da legenda, Graciela Nienov. O partido definirá o novo comando em uma convenção marcada para acontecer no próximo dia 30.

Preso no Rio de Janeiro, Jefferson teve seu afastamento por seis meses da presidência do PTB determinado na semana passada por ordem de Moraes, que atendeu a um pedidos de correligionários do ex-deputado petebista. Em outubro, Jefferson teria confidenciado a interlocutores que temia ser afastado. Por isso, pediu licença do cargo.

Para a convenção marcado para o dia 30, a atual presidente, Graciela Nienov, lidera a única chapa inscrita até o momento. Quando foi preso a pedido da PF, em 13 de agosto, Jefferson chegou a enviar áudio a aliados pedindo que respeitassem as decisões de “Graci” em seu lugar.

Fonte: Pleno News