Deputada pede que Nunes seja investigado após ato na Paulista

Política Nacional

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) e a vereadora Luana Alves (PSOL-SP) acionaram o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) contra o prefeito Ricardo Nunes (MDB) por suposto uso de dinheiro público no ato pró-Bolsonaro realizado na Avenida Paulista neste domingo (25).

Acusação e pedido de investigação

Sâmia Bomfim escreveu em sua rede social que o objetivo da ação é apurar se houve uso de recursos públicos para financiar o evento. A deputada classificou o ato como “golpista” e que incita ataques contra a Polícia Federal (PF) e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Custeio do evento e contraponto

É importante ressaltar que o pastor Silas Malafaia, um dos organizadores do ato, afirmou no dia 16 de fevereiro que o evento seria custeado por ele.

Repercussão e debate

A ação de Sâmia Bomfim e Luana Alves gerou repercussão e debate nas redes sociais e na mídia. O caso está sendo acompanhado por diversos setores da sociedade, que aguardam a investigação do MP-SP.

Importância da investigação e papel do MP

A investigação do MP-SP é importante para verificar se houve irregularidades no uso de recursos públicos no ato pró-Bolsonaro. O MP tem um papel fundamental na defesa da legalidade e na promoção da justiça.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *