Dallagnol sobre Jordy: “STF terá acesso às estratégias da oposição”

Política Nacional

O ex-procurador federal e ex-deputado federal Deltan Dallagnol emitiu preocupações quanto à decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou a busca e apreensão do celular e computador do deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ).

Dallagnol questionou a competência do STF para julgar pessoas sem foro privilegiado que foram acusadas e condenadas por estarem nos atos de 8 de janeiro de 2023.

“O STF não tem competência para julgar crimes comuns praticados por pessoas sem foro privilegiado. A competência é da Justiça Federal ou dos estados, conforme o caso”, escreveu Dallagnol no X, antigo Twitter.

O ex-procurador também questionou a suposta participação do líder da oposição nesses atos, pois na visão dele, apoiar uma manifestação é legítimo.

“Se o deputado apoiou atos de protesto no 8 de janeiro, sem ter incentivado ou participado de crimes, seu comportamento é legítimo. Muitos protestos são feitos sem crimes serem praticados”, escreveu Dallagnol.

Dallagnol também lembrou que o acesso ao celular e computador de Jordy pode dar ao STF informações estratégicas da oposição.

“Aprendi no caso Intercept, junto com todos que foram atingidos, que acesso ao celular pode servir para tirar de contexto, deturpar e desfigurar um trabalho e pessoas. Qual o valor do celular e computador do Carlos Jordy?”, questionou Dallagnol.

Jordy foi alvo da Operação Lesa Pátria na manhã desta quinta-feira (18) por, supostamente, ter envolvimento com os atos de 8 de janeiro de 2023.

Leia na íntegra:

 

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *