Deputados apresentam projeto de anistia para Jair Bolsonaro após decisão do TSE

Política Nacional

Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) declarar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível por oito anos, deputados apresentaram um projeto de anistia visando reverter a decisão. O documento, que já conta com 65 assinaturas, recebeu o apoio de doze congressistas da base do atual presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

A proposta, de autoria do deputado federal Ubiratan Sanderson (PL-RS), embasa-se no princípio constitucional que possibilita ao Congresso Nacional conceder anistia antes ou após o trânsito em julgado. O projeto busca a anulação da inelegibilidade para indivíduos condenados por ilícitos eleitorais desde outubro de 2016.

Dentre as assinaturas do projeto de anistia, estão parlamentares de diversas legendas, incluindo PL, PP, MDB, PSD e União Brasil. Vale ressaltar que essas três últimas siglas compõem a base do governo de Luiz Inácio Lula da Silva e lideram oito ministérios em sua gestão.

Veja a lista de parlamentares que apoiam o projeto:

  1. Sanderson (PL-RS)
  2. Abilio Brunini (PL-MT)
  3. Alfredo Gaspar (União-AL)
  4. Amalia Barros (PL-MT)
  5. André Fernandes (PL-CE)
  6. Bia Kicis (PL-DF)
  7. Bibo Nunes (PL-RS)
  8. Capitão Alberto Neto (PL-AM)
  9. Capitão Alden (PL-BA)
  10. Capitão Augusto (PL-SP)
  11. Carlos Jordy (PL-RJ)
  12. Chris Tonietto (PL-RJ)
  13. Coronel Assis (União-MT)
  14. Coronel Chrisóstomo (PL-RO)
  15. Coronel Fernanda (PL-MT)
  16. Coronel Telhada (PP-SP)
  17. Coronel Ulysses (União-AC)
  18. Daniela Reinehr (PL-SC)
  19. Delegado Caveira (PL-PA)
  20. Delegado Paulo Bilynskyj (PL-SP)
  21. Delegado Ramagem (PL-RJ)
  22. Diego Garcia (Republicanos-PR)
  23. Dr. Frederico (Patriota-MG)
  24. Evair de Melo (PP-ES)
  25. Felipe Francischini (União-PR)
  26. Fernando Rodolfo (PL-PE)
  27. Filipe Barros (PL-PR)
  28. General Girão (PL-RN)
  29. General Pazuello (PL-RJ)
  30. Gilberto Silva (PL-PB)
  31. Gilvan da Federal (PL-ES)
  32. Giovani Cherini (PL-RS)
  33. Gustavo Gayer (PL-GO)
  34. Hélio Lopes (PL-RJ)
  35. José Medeiros (PL-MT)
  36. Júlia Zanatta (PL-SC)
  37. Junio Amaral (PL-MG)
  38. Luiz Lima (PL-RJ)
  39. Luiz Phillipe (PL-RJ)
  40. Marcelo A. Antônio (PL-MG)
  41. Marcelo Moraes (PL-RS)
  42. Mário Frias (PL-SP)
  43. Maurício do Vôlei (PL-MG)
  44. Maurício Marcon (Podemos-RS)
  45. Nikolas Ferreira (PL-MG)
  46. Osmar Terra (MDB-RS)
  47. Otoni de Paula (MDB-RJ)
  48. Pedro Lupion (PP-PR)
  49. Pedro Westphalen (PP-RS)
  50. Pezenti (MDB-SC)
  51. Pastor Marco Feliciano (PL-SP)
  52. Reinhold Stephanes Júnior (PSD-PR)
  53. Rodrigo Valadares (União-SE)
  54. Rosangela Moro (União-SP)
  55. Sargento Fahrur (PSD-PR)
  56. Sargento Gonçalves (PL-RN)
  57. Silvia Cristina (PL-RO)
  58. Silvia Waiapi (PL-AP)
  59. Sóstenes Cavalcante (PL-RJ)
  60. Thiago Flores (MDB-RO)
  61. Vermelho (PL-PR)
  62. Vicentinho Júnior (PP-TO)
  63. Zé Trovão (PL-SC)
  64. Zé Victor (PL-MG)
  65. Coronel Zucco (PL-RS)

A iniciativa tem gerado debates intensos entre os políticos e a sociedade. Enquanto alguns defendem a anistia como uma forma de garantir a isenção do ex-presidente Bolsonaro, outros argumentam que a medida pode ser interpretada como uma tentativa de burlar a justiça e enfraquecer as instituições democráticas.

O projeto de anistia deve passar por tramitação no Congresso Nacional, onde será analisado e votado pelos parlamentares. Caso seja aprovado, poderá representar uma reviravolta na elegibilidade de Jair Bolsonaro, permitindo que ele volte a concorrer a cargos políticos.

Acompanhe as próximas movimentações e discussões em torno desse projeto, que promete acirrar ainda mais os ânimos na cena política brasileira. Fique por dentro das últimas notícias e opiniões sobre o assunto.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *