O apresentador Luciano Huck e o ex-governador João Doria (PSDB) se juntaram aos signatários da Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito, documento que afirma que o Brasil vive um “momento de imenso perigo para a normalidade democrática”. Em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o apresentador da Globo disse esperar que o texto alcance um milhão de assinaturas em breve. Até a manhã desta terça-feira (2), o manifesto havia recebido o apoio de 661 mil pessoas.

– A ideia é atingir 1 milhão de assinaturas o quanto antes. Todos em defesa da democracia – declarou Huck.

Nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a comentar sobre o manifesto, ironizando os empresários que o assinaram.

– Esse manifesto aí foi assinado por banqueiros, artistas, tem mais uma classe aí… e alguns empresários mamíferos – enumerou em tom irônico, fazendo alusão a pessoas que estariam acostumadas a sugar o governo.

O líder do Planalto também questionou o trabalho desses empresários, pois, em sua avaliação, esse grupo não tende a se alinhar aos ideais de esquerda.

– Não tem nenhum empresário de esquerda. A única que ciscou pra esquerda foi a Magazine Luiza, e caiu – completou.

Em resposta à carta, que foi vista como crítica ao chefe do Executivo, advogados alinhados ao presidente também elaboraram um abaixo-assinado em defesa de Bolsonaro e das liberdades individuais. O texto, que argumenta que “não há democracia sem respeito às liberdades”, tinha 732 mil signatários também até a manhã desta terça.

Fonte: Pleno News