O repórter Daniel Penna-Firme disse que já sofreu agressão por apoiar o presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele deu declarações durante entrevista ao canal Cara a Tapa, de Rica Perrone, no YouTube.

Atualmente, o jornalista está afastado porque é pré-candidato do União Brasil a deputado estadual. As informações são do portal Na Telinha.

– Dentro da política, as coisas que eu tenho visto no meu processo de pré-candidatura, tem puxada de tapete, composição partidária… Todo isso que eu vi não me assusta sobre o que já vi nas redações de jornalismo. Dentro de uma redação de jornalismo você não espera que uma colega sua cuspa no seu rosto porque você disse que iria votar no Jair Bolsonaro e isso acabou acontecendo comigo. Eu tomei cusparada no rosto dentro de uma redação e depois eu soube que poderia ter denunciado no RH porque existe um compliance e a colega poderia ser demitida – falou Daniel.

Questionado se não revidou, o jornalista disse que chorou.

– Claro que eu mantive a cabeça, se eu dou uma porrada nela é Lei Maria da Penha, sou fascista… Aí que eu confirmo os argumentos dela. É a estratégia. Você não espera isso, que acontece o que aconteceu. No meu penúltimo dia de redação. Lá ainda tinham alguns jovens que estavam visitando a redação por conta de um projeto social. Uma editora que me conhece há mais de vinte anos disse para os jovens: “cuidado que ele vai pedir voto para vocês. Quem conhece, não vota” – contou.

Ele afirmou ainda que também já tinha recebido um tapa de outro colega.

– A gente esperando uma mãe de uma pessoa que morreu, era uma matéria de polícia. Estávamos na rua e durante a resenha dos jornalistas, tomei um tapa nas costas. Estava em um debate sobre política e falei que ia sair ‘porque eu já tomei cuspe no rosto, tapa das costas e daqui a pouco vocês me chamam de facista’. [Ele disse] Sai mesmo seu fascista e me deu um empurrão – disse.

Fonte: Pleno News