A pré-campanha do petista Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República tem saído cara aos cofres públicos. Com recursos do fundo partidário, o PT tem bancado jatinhos particulares, aluguel de carro luxuoso, além de hospedagem em suíte presidencial. O ex-presidente vem rodando o Brasil desde o ano passado, junto de sua mulher, Rosângela Silva, mais conhecida como Janja.

Pouco depois de voltar a ser elegível, visto que suas condenações na Lava Jato foram anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Lula viajou a Brasília em maio de 2021 para uma rodada de encontros políticos. Com dinheiro obtido por meio de cofres públicos, o PT fretou um jatinho Learjet, com aluguel avaliado em R$ 84,8 mil, para o presidenciável, Janja, dois seguranças e três assessores.

O período de quatro dias foi aproveitado numa suíte presidencial de 102 metros quadrados de um hotel cinco estrelas no centro da cidade. Cada diária custou R$ 2,5 mil, o que representa uma despesa total de R$ 10 mil. Seus assessores e seguranças dormiram em quartos com diárias que variavam entre R$ 369 e R$ 569.

Junto com a fatura de R$ 10 mil pelos quatro dias de hospedagem, o PT pagou mais R$ 3,7 mil em comidas e bebidas servidas no quarto do casal. Os valores aparecem detalhados na mais recente prestação de contas que o partido apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral.

Os gastos foram ainda maiores em agosto do ano passado, ou seja, três meses depois. Na ocasião, o PT alugou uma aeronave maior e mais luxuosa por R$ 348 mil – o frete inicial foi avaliado em R$ 498 mil, mas um problema no jatinho culminou na economia de R$ 150 mil. Lula liderou uma comitiva em um tour de 12 dias pelo Nordeste. Seis estados foram visitados na oportunidade.

De qualquer forma, o PT também arcou com o aluguel de salas para reuniões, equipamentos e carros blindados para os deslocamentos em cada uma das seis capitais. Tanto ele e sua esposa quanto seu staff ficaram hospedados sempre em hotéis cinco estrelas.

A viagem, portanto, custou aproximadamente R$ 800 mil. Na despesa, inclui-se o aluguel do carro Volvo, utilizado no Piauí, além de pagamentos ao fotógrafo oficial do presidente e à assessora responsável por atualizar as redes sociais do petista.

Com a proximidade das eleições, as viagens de pré-campanha, assim como os gastos, se intensificaram neste ano. De janeiro a maio, por exemplo, o PT já desembolsou com a agência de viagens com a qual tem contrato os mesmos R$ 2,5 milhões que foram gastos durante 2021. O extrato detalhado, porém, só vai ser apresentado à Justiça Eleitoal no ano que vem. A informação é da coluna Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles.

Fonte: Pleno News