O deputado federal Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais, nesta sexta-feira (17), para criticar o ex-presidente Lula. Ele reagiu após o petista ter revelado que procurou o senador licenciado Renan Calheiros e o ex-chefe do Executivo Fernando Henrique Cardoso para libertar os sequestradores do empresário Abílio Diniz da prisão.

– Se alguém sequestrar seu filho ou cometer outra barbaridade e quiser ficar livre, certamente Lula intercederá pela soltura deste criminoso. Se este é o Brasil que você deseja, você já sabe o que fazer nesta eleições – escreveu o parlamentar, no Twitter.

Lula relembrou o caso durante um evento de pré-campanha em Maceió (AL), na sexta-feira.

Diniz foi sequestrado em 1989. O pedido de Lula teria ocorrido em 1998. Os sequestradores eram argentinos, chilenos, canadenses e também havia um brasileiro. Os canadenses foram extraditados em 1998, após acordo com o Canadá, segundo informações do PODER360.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso nomeou Calheiros para comandar o Ministério da Justiça em 1998. O cargo foi ocupado por ele até 1999.

Segundo Lula, o então ministro o aconselhou a conversar com FHC. De acordo com o petista, Cardoso pediu em troca uma ajuda para que a greve de fome fosse encerrada.

– E eu fui na cadeia no dia 31 de dezembro conversar com os meninos e falar: ‘Olha, vocês vão ter de dar a palavra para mim, vocês vão ter de garantir pra mim, que vão acabar com a greve de fome agora e vocês serão soltos’. Eles respeitaram a proposta, pararam a greve de fome e foram soltos. E eu não sei aonde que eles estão agora.

No início de 1999, os estrangeiros foram extraditados e o brasileiro recebeu indulto.

Fonte: Pleno News