Nesta quinta-feira (12), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que a ideia de privatizar a Petrobras “não está na mesa”. A medida foi cogitada pelo novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, e enviada ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Durante conversa com jornalistas, Guedes disse que irá dar início ao processo de estudos para a desestatização da empresa. Para o presidente do Senado, no entanto, a privatização da empresa seria uma medida demorada, não “uma solução de curto prazo”.

– Em relação a esse tema, eu já disse outras vezes e reitero que os estudos, o aprofundamento de modelos, de possibilidades, eu acho importante que tenhamos um estudo aprofundado sobre possibilidades relativamente à Petrobras. Mas não considero que esteja no radar ou na mesa de discussão neste momento a privatização da empresa porque o momento é muito ruim para isso – ressaltou.

Pacheco também apontou que a prioridade do Congresso no momento é aprovar um projeto de lei que cria uma espécie de fundo para atenuar a variação do preço dos combustíveis. O presidente do Senado esteve reunido com secretários estaduais de Fazenda para tratar da questão.

– Muito embora estejamos vivendo momento muito agudo de crise de preços de combustíveis, fica a dicotomia desse lucro estratosférico e desproporcional da Petrobras frente a outras empresas do mundo – apontou.

Fonte: Pleno News