Nesta quarta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso. Ele deu declarações durante a cerimônia de lançamento da nova carteira nacional de identidade, no Palácio do Planalto.

Bolsonaro afirmou que é o Poder Executivo que “resiste” às “arbitrariedades” e “estapafúrdias” de duas ou três pessoas. As informações são do portal Metrópoles.

– Geralmente, quem busca tolher a liberdade e impor um regime de força no país é o chefe do Executivo. E aqui é exatamente ao contrário. É o chefe do Executivo que resiste. Agências de checagens, arbitrariedades, estapafúrdias, dizendo que duas ou três pessoas no Brasil passam a valer mais que todo nós juntos; mais que a Câmara, mais o Senado, mais que o Executivo, mais que os outros órgãos do Judiciário, mais que o TCU, mais que o STJ… Nós vamos ceder para dois ou três e relativizar a nossa liberdade? – declarou o presidente.

Bolsonaro disse ainda que não irá resistir nem perder o que chamou de “guerra”.

– Os Poderes são harmônicos e independentes. Quem não quer lisura no processo eleitoral? As Forças Armadas foram convidas. As Forças Armadas não estão interferindo […], e elas são de todos nós e estão nos ajudando nessa questão também – falou.

Fonte: Pleno News