Cinco reitores de universidades federais nomeados pelo presidente Jair Bolsonaro decidiram se desligar da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições (Andifes) e criar uma nova instituição para representar os interesses de suas universidades, a Associação dos Reitores das Universidades do Brasil (Afebras).

De acordo com o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cândido Albuquerque, um dos integrantes da nova entidade, o motivo para a saída foi a hostilidade com a qual foram tratados pelos representantes da Andifes por terem sido escolhidos por Bolsonaro nas listas tríplices das quais faziam parte mesmo sem serem os mais votados, prerrogativa que já foi pacificada pelo STF.

– O presidente da Andifes, o reitor Edward Madureira, dizia que nossas vagas iam permanecer reservadas para os primeiros colocados das listas das instituições. Não havia diálogo, é uma instituição totalmente aparelhada, que utiliza as universidades públicas como palanques políticos – relatou Albuquerque.

De acordo com Albuquerque, primeiro presidente da nova entidade, que terá sede em Brasília, não se propõe a confrontar a Andifes, mas que quer “propor pautas relevantes para o ensino público superior e abrir canais de diálogo com toda a sociedade, incluindo a própria Andifes”.

– Não vamos pedir passaporte ideológico a ninguém, nem vamos exigir que os integrantes da Afebras deixem a Andifes – declarou.

Entre os integrantes da Afebras estão os reitores Paulo César Fagundes Neves, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Herdjania Veras Lima, reitora da Universidade Federal Rural da Amazonas (UFRA), que não haviam participado do rompimento, e quatro dos cinco que tomaram a iniciativa em julho. São eles:

– Cândido Albuquerque, da Universidade Federal do Ceará (UFC);

– Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, da Universidade Federal do Semi-Árido (UFERSA);

– Edson da Costa Bortoni, da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI);

– Janir Alves Soares, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Murici (UFVJM);

O único membro que fez parte do grupo que idealizou a Afebras, mas que não faz parte dos quadros da nova entidade, é o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Carlos André Bulhões Mendes, cuja universidade segue vinculada à Andifes.

Fonte: Pleno News