O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nesta segunda-feira (7), ter acionado ministérios de seu governo contra a invasão de uma igreja em Curitiba, realizada por militantes que, segurando bandeiras do PT e do PCdoB, invadiram o templo em um ato que seria de manifestação pela morte do congolês Moïse Kabagambe, no Rio de Janeiro.

Bolsonaro compartilhou um vídeo da entrada do grupo na igreja em seu Twitter e chamou os manifestantes de “marginais”. Ele também disse ter pedido ao Ministério da Justiça e ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos para acompanhar o caso.

– De modo a garantir que os responsáveis pela invasão respondam por seus atos e que práticas como essa não ganhem proporções maiores em nosso país – disse o líder

De acordo com o chefe do Executivo, a invasão da igreja foi um ato de esquerdistas que, “acreditando que tomarão o poder novamente”, voltam “a mostrar sua verdadeira face de ódio e desprezo às tradições do nosso povo”.

Bolsonaro ainda citou o artigo 208 do Código Penal para defender que a medida seria alvo de punição.

– Se esses marginais não respeitam a casa de Deus, um local sagrado, e ofendem a fé de milhões de cristãos, a quem irão respeitar? – acrescentou.

*AE

Fonte: Pleno News