O sérvio Novak Djokovic se manifestou, através das redes sociais, nesta sexta-feira (7) pela primeira vez desde que foi “detido” em Melbourne, na Austrália, por não comprovar a sua vacinação contra a Covid-19 na chegada ao país para a disputa do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. Em uma publicação nos stories de sua conta no Instagram, o tenista número 1 do ranking da ATP agradeceu o “apoio contínuo”, apesar das várias críticas que recebeu.

– Obrigado às pessoas ao redor do mundo por seu apoio contínuo. Eu posso senti-lo e o agradeço enormemente – escreveu Djokovic.

O sérvio desembarcou na Austrália na última quarta-feira (5). Mas foi barrado no aeroporto por conta de falta de informações em seu visto. Reconhecido por ser contra a vacinação contra a Covid-19, o tenista pediu e obteve uma “permissão médica especial” para poder entrar e competir no país, sem apresentar comprovante de vacinação completa.

Mas, ao desembarcar em Melbourne, não conseguiu comprovar a necessidade da permissão especial, que atende pessoas que não tomaram o imunizante para não piorar um quadro clínico grave causado por outra doença ou porque apresentaram reação grave na primeira dose ou ainda porque tiveram Covid-19 nos últimos seis meses.

Barrado, o número 1 do mundo passou a madrugada de quinta-feira no aeroporto, até ser deslocado a um hotel especial, reservado a refugiados. Ele permanecerá no local até ter o seu caso analisado por um juiz federal, na próxima segunda.

A publicação de Djokovic ocorre pouco depois de sua mulher, Yelena, também se manifestar publicamente sobre o assunto. Em um post em seu perfil no Instagram, ela afirmou que “a única lei que devemos respeitar em cada fronteira é o amor e o respeito por outro ser humano”. Yelena ainda agradeceu a quem apoiou o tenista e disse que eles vão “crescer com essa experiência”.

– Hoje (sexta-feira) é Natal para nós, meus votos são para que todos sejam saudáveis, felizes, seguros e juntos com as famílias. Gostaríamos de estar todos juntos hoje, mas meu consolo é que pelo menos estamos com saúde. E vamos crescer com essa experiência – publicou Yelena.

Enquanto o pai do tenista disse que seu filho era “mantido em cativeiro na Austrália”, Yelena disse que está tentando se acalmar e afirmou que “amor e perdão nunca são um erro”.

*AE

Fonte: Pleno News