O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu prorrogar por 90 dias o inquérito que investiga o presidente Jair Bolsonaro por suposta interferência na autonomia da Polícia Federal (PF).

A denúncia foi feita pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, que ao sair do governo acusou Bolsonaro de tentar fazer interferências políticas na PF e de tentar colocar no comando do órgão alguém a quem “pudesse ligar para colher informações”.

Moraes determinou que, “considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no art. 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 dias, a partir do encerramento do prazo final anterior (27 de janeiro de 2022), o presente inquérito”.

Na época da denúncia, Bolsonaro exonerou o então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, nome de confiança de Moro, gerando uma crise interna que culminou na saída de Moro da pasta.

Fonte: Pleno News