Os 92 prefeitos e vices de São Paulo cuja filiação ao PSDB havia sido indicada pelo governador de São Paulo, João Doria, visando às prévias da legenda para escolha do candidato do partido à Presidência da República não poderão participar do pleito marcado para o próximo dia 21 de novembro. A decisão foi oficializada pela Comissão Partidária das Prévias do PSDB.

Tomada de forma unânime, a decisão do colegiado definiu que todos os 92 nomes indicados foram lançados no sistema do partido com datas de filiação retroativas ao prazo limite, 31 de maio deste ano, e, portanto, “destituídas de credibilidade”.

– Destes, 44 filiados enviaram esclarecimentos ao Diretório Nacional, apresentando declarações e fichas de filiação que não se prestam para fins de comprovação regular da filiação até o dia 31/05/2021, por ser conhecida como prova unilateral – disse o partido, em nota.

A comissão, presidida pelo senador José Aníbal (SP), apontou ainda que os demais 48 filiados, mesmo formalmente intimados a comprovar a sua filiação, não o fizeram. Esse fato, segundo nota assinada pelo parlamentar, demonstra “desinteresse” em comprovar as datas das filiações dos nomes.

Aliados do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, os diretórios tucanos de Minas, do Rio Grande do Sul, do Ceará e da Bahia apresentaram, no dia 21 de outubro, uma representação à Comissão Executiva Nacional do PSDB por suspeita de fraude na inscrição de eleitores paulistas. Na ocasião, o diretório estadual do PSDB em São Paulo rebateu as acusações dizendo “repudiar ilações”.

Fonte: Pleno News