Em conversa com apoiadores nesta segunda-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. Ele disse que não se preocupa com o assunto e criticou o relator do colegiado, Renan Calheiros (MDB-AL). Na conversa, o presidente também falou sobre a situação econômica do Brasil e afirmou que ainda “não chegou toda a conta” do ‘fique em casa, a econômica a gente vê depois’”.

A declaração foi feita por Bolsonaro em resposta a um apoiador que falou sobre a perseguição sofrida pelo presidente.

– Para mim, não pega nada. Estou ignorando [a suposta perseguição]. Vou me preocupar com a CPI, por exemplo? Brincadeira. Tem acusação do Renan, suspeita de corrupção. Do Renan… – afirmou.

Antes, Bolsonaro falou sobre a situação econômica do país e voltou a criticar a política do “fique em casa, a economia a gente vê depois”.

– Os problemas existem. O que é duro é a incompreensão. A política do “fique em casa, a economia a gente vê depois” abalou o mundo todo. E o Brasil não está fora desse contexto. Então o tempo todo eu sou o responsável por tudo. Se é assim, ache um cara melhor. Tem muita gente boa aí candidato. Então eu vou cumprir o meu mandato, sem problema nenhum. Vou fazer o que é possível, mas analisem. Eu sei que vocês moram no Brasil, mas analisem o que está acontecendo nos EUA, na Europa – apontou.

Em seguida, Bolsonaro disse que a situação deve piorar.

– E muita gente do Brasil apoiou o “ficar em casa”. Agora a conta chegou […] Não chegou toda a conta ainda; vai chegar mais. Agora a pior coisa que tem é desesperar, achar um responsável pelo seu insucesso – destacou.

Fonte: Pleno News