Na manhã desta segunda-feira (18), o vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que a cúpula do colegiado “não tem direito” de se dividir no momento atual, justamente na reta final dos trabalhos da Comissão.

– Se dividir na votação final, dar chancela às críticas, é inaceitável – afirmou Randolfe, em entrevista coletiva à imprensa antes da reunião da Comissão.

Os últimos dias da CPI da Covid estão sendo marcados por divergências entre os senadores acerca do texto de Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI. O impasse chegou a provocar o adiamento da leitura do texto e a sua votação.

O vazamento do texto para a imprensa motivou discordâncias sobre o número de indiciados, 53 na lista prévia de Renan, e também sobre os crimes atribuídos ao presidente Jair Bolsonaro.

O vazamento, inclusive, teria levado os integrantes do chamado G7 a “isolarem” Calheiros, de acordo com a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo.

Randolfe alegou que a decisão de adiar a votação do relatório foi “sobretudo técnica” e que as discordâncias dentro do grupo que comanda a CPI são “de forma, não de conteúdo”.

Fonte: Pleno News