O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), defende a inclusão do ministro da Economia Paulo Guedes e o secretário nacional de política econômica, Adolfo Sachsida no relatório final do relator Renan Calheiros (MDB-AL). De acordo com ele, o indiciamento deve ser por “crime contra a ordem sanitária”.

– [Há] aspectos a serem acrescentados, como o indiciamento do ministro Paulo Guedes e do secretário nacional de política econômica – declarou o senador em entrevista ao UOL News.

O relatório de pouco mais de 1.200 páginas preparado por Renan não deve conter o indiciamento de Guedes, mas segundo Randolfe, um relatório “paralelo” elaborado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) deverá conter o nome do ministro.

Randolfe afirma que a CPI tem posse de documentos encaminhados pelo próprio ministério da Economia, em que praticamente a pasta “confessa” que a estratégia da imunidade de rebanho era a “estratégia mais eficaz” para o país combater o coronavírus, ao visar “a infecção de todos”.

O senador também salienta que o relatório de Vieira traz uma “distinção em relação à questão da caracterização do crime de genocídio”.

– Acho que o texto do senador Alessandro traz uma contribuição melhor, mais aprimorada, em relação a esta caracterização – completou.

Fonte: Pleno News