José Luiz Datena falou, em entrevista à revista Veja, sobre sua incursão na vida política, assunto muito comentado ultimamente, inclusive pelo próprio apresentador. O pré-candidato do PSL à Presidência em 2022 acaba de desmentir que sairá da Band para se dedicar às eleições.

No entanto, após já ter desistido três vezes, a corrida presidencial não está descartada para o apresentador. Como foi lançado pelo PSL antes do anúncio da fusão com o DEM (que vai criar o União Brasil), ele teria que encarar o desafio de disputar prévias com outros presidenciáveis, como o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

Caso perca as prévias, Datena poderia ir para o PDT e aceitar o convite para ser candidato a vice de Ciro Gomes. Logo no início da entrevista, ele disse que recuou das outras vezes para não “passar ridículo”, mas agora se mostra mais confiante.

Datena rechaçou com veemência a polarização Bolsonaro–Lula, classificando como estupidez.

– Polarizar é dividir em dois o que pode ser dividido em muitos, dar mais chance para que o brasileiro escolha – disse.

Quando questionado em qual dos dois votaria para a Presidência, o apresentador do Brasil Urgente foi categórico:

– Não votaria em nenhum deles. Tenho certeza de que vai dar tudo certo, e eu serei o próximo presidente da República – declarou.

Fonte: Pleno News