Neste sábado (25), o deputado federal Marco Feliciano usou as redes sociais para se manifestar a respeito do desligamento do jornalista Alexandre Garcia, que foi dispensado da CNN Brasil por ter defendido o tratamento precoce.

O parlamentar questionou se o caso não seria o mesmo que seria assédio moral e preconceito.

– Perguntar não ofende: uma emissora de TV tornar pública o motivo da demissão de um funcionário, um JORNALISTA, por expor seu pensamento em um programa de TV, não seria assédio moral? Preconceito? E a liberdade de expressão garantida na CF? – declarou ele, ao marcar a CNN e Garcia na publicação.

A CNN Brasil informou, na sexta-feira (24), que decidiu rescindir o contrato do jornalista Alexandre Garcia após ele “reiterar a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada”.

Durante participação no quadro “Liberdade de Opinião”, Garcia havia dito que os “tais remédios sem eficácia comprovada salvaram milhares de vidas”.

– Os tais remédios sem eficácia comprovada salvaram milhares de vidas sendo aplicados imediatamente, mesmo antes do resultado do teste. É na fase 1, na fase 2 às vezes evitam hospitalizações. Na fase 1 sempre evitam hospitalizações, sempre evitam sofrimento. Na fase 3 são ineficazes, depois que a pessoa já está hospitalizada ou intubada (…) Essa questão de eficácia comprovada a gente só vai saber daqui uns três anos. Agora tudo é experimental – destacou.

Após a declaração, no entanto, apresentadora Elisa Veeck rebateu o comentário.

– Reitero sempre para vocês que nos acompanham que as opiniões emitidas pelos comentaristas do quadro não refletem necessariamente a posição da CNN. E mais um acréscimo aqui neste fim do quadro de hoje, a CNN ressalta que não existe um tratamento precoce comprovado cientificamente para prevenir a Covid-19. O que a ciência mostra é que a prevenção, com o uso de máscaras e a vacinação, são as únicas maneiras de combater a pandemia – ressaltou.

Em nota, a emissora disse que manterá o quadro em sua programação e reforçou seu “compromisso com os fatos e a pluralidade de opiniões, pilares da democracia e do bom jornalismo”.

Leia a nota completa da CNN Brasil:

A CNN Brasil comunica que rescindiu o contrato com o jornalista Alexandre Garcia nesta sexta-feira (24).

A decisão foi tomada após o comentarista reiterar a defesa do tratamento precoce contra a Covid-19 com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada.

O quadro “Liberdade de Opinião” continuará na programação da emissora, dentro do jornal “Novo Dia”.

A CNN Brasil reforça seu compromisso com os fatos e a pluralidade de opiniões, pilares da democracia e do bom jornalismo.

Publicação do parlamentar Foto: Reprodução/Twitter

Fonte: Pleno News