Caso das joias: Moraes receberá relatório da PF contra Bolsonaro

A Polícia Federal (PF) indiciou o ex-presidente Jair Bolsonaro e outros 11 aliados no caso da suposta venda de joias da Presidência da República. Esses indiciamentos ocorreram no âmbito da Operação Lucas 12:2, que apontou que Bolsonaro, seu ex-ajudante de ordens e outros assessores “atuaram para desviar presentes de alto valor recebidos em razão do cargo pelo ex-presidente para posteriormente serem vendidos no exterior.”

O próximo passo é enviar o relatório ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que é o relator do caso. Além disso, a Procuradoria-Geral da República (PGR) também analisará a investigação.

A PGR decidirá se Bolsonaro e outros investigados serão denunciados ao STF. Outras opções incluem arquivamento por falta de provas ou solicitação de novas diligências.

Se a denúncia for aceita, todos os indiciados se tornarão réus e serão julgados pelos ministros da Suprema Corte. Caso contrário, o caso pode ser enviado para a 1ª instância.

Aqui está a lista dos indiciados:

  1. Jair Bolsonaro: indiciado pelos supostos crimes de peculato, associação criminosa e lavagem de dinheiro;
  2. Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior: ex-ministro de Minas e Energia, indiciado por peculato e associação criminosa;
  3. José Roberto Bueno Junior: ex-chefe de gabinete de Bento Costa, indiciado por peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa;
  4. Julio Cesar Vieira Gomes: ex-chefe da Receita Federal, indiciado por peculato, lavagem de dinheiro e crime funcional de advocacia administrativa perante a administração fazendária;
  5. Marcelo da Silva Vieira: capitão de corveta da reserva, ex-chefe do setor de documentação histórica da presidência do Rio, indiciado por peculato e associação criminosa;
  6. Mauro Cesar Cid: ex-ajudante de ordens da Presidência e delator, indiciado por peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa;
  7. Frederick Wassef: advogado, indiciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa;
  8. Fabio Wajngarten: advogado da família Bolsonaro, indiciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa;
  9. Marcos André dos Santos Soeiro: ex-assessor do ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, indiciado por peculato e associação criminosa;
  10. Osmar Crivelatti: ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, indiciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa;
  11. Mauro César Lourena Cid: general e pai de Mauro Cid, indiciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Bruno Rigacci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies