Ex-ministra diz que Lula distorce imagem dos brasileiros em Israel

Mundo

A ex-ministra do Interior de Israel, Ayelet Shaked, recentemente visitou o Brasil e descobriu que a percepção comum entre muitos israelenses sobre a postura dos brasileiros em relação a Israel pode não ser precisa. Segundo Shaked, a maioria dos israelenses acredita que os brasileiros são hostis a Israel, uma visão que ela atribui às distorções geradas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em uma entrevista ao Jerusalem Post, Shaked afirmou: “Em Israel, temos uma imagem distorcida por causa do presidente [Luiz Inácio Lula da Silva]. Apesar do presidente ser muito hostil a Israel, a própria nação é relativamente pró-Israel. Há muitos políticos que não são hostis e, pelo contrário, são amigáveis”.

Durante sua visita, Shaked observou que há muitos evangélicos e católicos no Brasil que têm uma visão positiva de Israel. Ela também teve a oportunidade de se encontrar com o que chamou de “a próxima geração de líderes do Brasil”, que, segundo ela, são extremamente pró-Israel.

Entre os políticos que se reuniram com Shaked estavam o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil) e o deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP), descendente da família imperial brasileira.

Bragança expressou seu apoio a Israel, afirmando: “O povo brasileiro está de coração e alma junto com o povo israelense nesta luta contra o terrorismo e para trazer paz à situação. Os governos não devem interferir neste vínculo que existe entre dois povos”.

Shaked, que visitou o Brasil para “fortalecer a conexão” com o país, disse ter encontrado comunidades judaicas “encantadoras, calorosas e sionistas” em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ela também observou que essas comunidades não foram afetadas pelo antissemitismo, ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos.

“As comunidades estão bem, mas estão muito preocupadas com o que está acontecendo em Israel. Eles perguntaram muito sobre como a situação terminaria, o que aconteceria com os reféns, o que aconteceria com Rafah e o Tribunal Penal Internacional. Estamos em um período difícil, mas houve muitos momentos difíceis na história, e isso vai passar e vamos superar”, acrescentou Shaked.

A relação diplomática entre Israel e Brasil foi abalada após críticas do presidente Lula a Israel, especialmente após o petista ter comparado a guerra em Gaza com o Holocausto promovido por Adolf Hitler na Alemanha nazista, que dizimou 6 milhões de judeus. No entanto, a visita de Shaked sugere que, apesar das tensões políticas, há uma forte conexão entre os povos dos dois países.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *