Na última quarta-feira (10), a TV Globo exibiu no horário nobre o documentário “8/1 – A Democracia Resiste”, produzido pela GloboNews com entrevistas de Alexandre de Moraes e o presidente Lula. A produção teve baixa audiência, registrando 11,4 pontos de média e 27,2% de share na Grande São Paulo, o que representa uma queda de 58% em relação à audiência do horário no dia anterior.

Uma pesquisa realizada pela AtlasIntel, divulgada nesta quinta-feira (11), revela que apenas 18,8% dos brasileiros acreditam que os atos de 8 de janeiro foram uma tentativa de golpe de Estado. O levantamento foi realizado com 1,2 mil pessoas entre os dias 7 e 8 de janeiro e tem margem de erro de três pontos percentuais.

Outros destaques:

  • O documentário da Globo foi o programa mais assistido entre as plataformas de vídeo no horário, mas ficou atrás das plataformas de streaming.
  • A narrativa de que os atos de 8 de janeiro foram uma tentativa de golpe de Estado é defendida pelo Judiciário, pelo governo Lula e seus aliados, e pela grande mídia.
  • A pesquisa da AtlasIntel aponta que as principais razões apontadas pelos brasileiros para os atos foram fanatismo político/polarização (34%) e fraude eleitoral (21%).

A baixa audiência do documentário da Globo pode ser interpretada como um sinal de que a narrativa de que os atos de 8 de janeiro foram uma tentativa de golpe de Estado não encontra eco na sociedade brasileira. A pesquisa da AtlasIntel corrobora essa interpretação, mostrando que a maioria dos brasileiros não acredita nessa versão dos fatos.

É importante ressaltar que a investigação sobre os atos de 8 de janeiro ainda está em curso e que ainda não há uma conclusão definitiva sobre o que aconteceu naquele dia. No entanto, os dados apresentados pela pesquisa da AtlasIntel sugerem que a narrativa defendida pelo Judiciário, pelo governo Lula e seus aliados, e pela grande mídia pode não ser a que melhor reflete a opinião da sociedade brasileira.

Os atos de 8 de janeiro foram um evento grave que deve ser investigado com rigor. No entanto, é importante que a investigação seja conduzida de forma imparcial e que todas as versões dos fatos sejam consideradas. A narrativa de que os atos foram uma tentativa de golpe de Estado é apenas uma das hipóteses possíveis e não deve ser apresentada como a única verdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site! ACEPTAR
Aviso de cookies