No TSE, Moraes ironiza roupa de Luciano Hang: “Verde periquito”

Política Nacional

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ironizou o empresário Luciano Hang durante o julgamento que condenou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o general Walter Braga Netto (PL) à inelegibilidade.

Moraes se referiu a Hang como cabo eleitoral e disse que ele estava usando sua “tradicional vestimenta verde periquito” nas comemorações do Bicentenário da Independência em 2022. Hang é apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro.

No desfile cívico-militar em Brasília, o empresário ficou na primeira fileira da tribuna – área reservada aos chefes de Estado -, entre o então presidente Bolsonaro, candidato à reeleição, e o presidente de Portugal, Rebelo de Sousa. Hang estava vestido com um terno e gravata chamativos, nas cores do Brasil. A roupa também foi utilizada por Hang no depoimento na CPI da Covid, em setembro de 2021.

“Uma cena patética e triste para o Brasil, uma cena que foi veiculada no mundo todo, o presidente simplesmente afastando o presidente de Portugal e chamando o seu cabo eleitoral, vestido com a sua tradicional vestimenta verde periquito para fazer campanha”, afirmou Moraes no seu voto.

A fala de Moraes foi criticada por apoiadores de Bolsonaro, que a classificaram como “desnecessária” e “agressiva”. Hang, por sua vez, afirmou que não se sentiu ofendido.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *