Antes de marcar presença no Congresso Nacional, durante a promulgação da PEC dos Benefícios, “apadrinhada” por ele, o presidente Jair Bolsonaro (PL) participou de um evento religioso em Vitória de Mearim, localizado a cerca de 180 quilômetros de São Luís, capital do Maranhão, nesta quinta-feira (14).

Em tom de campanha, apesar da candidatura ainda não ter sido oficializada, o pré-candidato à reeleição “cobrou” que os eleitores tomem um partido nas eleições. Em discurso, Bolsonaro mandou recado especialmente para aqueles que votam nulo/branco ou que não aparecem para votar.

– No dia do ponto final, nós temos um currículo para ser apresentado. Esse currículo não é um pedaço de papel. Esse currículo são as nossas ações ao longo de toda a nossa vida, bem como as nossas omissões, porque quem se abstém, quem diz “eu não quero nem esse e nem aquele”, está errando também. Decisão equivocada, errada, ou omissão, o preço pode ser muito caro para todos nós – ressaltou o chefe do Executivo.

O presidente tenta atrair os eleitores indecisos nessa reta final antes do pleito, programado para o dia 2 de outubro. Afinal, o único grupo etário que dá vantagem numérica a Bolsonaro nas pesquisas é o de pessoas acima de 60 anos.

No entanto, o grupo de idosos é justamente o que mais se abstém, principalmente os que têm mais de 70 anos, faixa em que o voto é facultativo. A taxa de abstenção dos septuagenários, que corresponderam a 8% do eleitorado em 2018, foi 62,6% nas últimas eleições gerais.

Fonte: Pleno News