Nesta segunda-feira (20), ocorreu primeira reunião da comissão criada pelo Senado para tratar das mortes do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo. Os senadores aprovaram um plano de trabalho que inclui uma audiência com o ministro da Justiça, Anderson Torres.

Dom e Bruno morreram no dia 5 de junho durante uma expedição no Vale do Javari, no Amazonas. As mortes foram confirmadas no dia 15 deste mês, após dois suspeitos do crime apontarem o local onde eles estavam enterrados.

A Comissão Externa Temporária é presidida pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e relatada pelo senador Nelsinho Trad (PSD-MS). Já o senador Fabiano Contarato (PT-ES) foi definido como o vice-presidente do colegiado.

Anderson Torres deve ser ouvido pela comissão já nesta quarta-feira (22), às 10h.

Os parlamentares ainda aprovaram outros cinco requerimentos. São eles, de acordo com a Agência Senado:

– Convite ao prefeito de Atalaia do Norte (AM), Denis Paiva, para prestar as informações que considere relevantes relacionadas ao aumento da criminalidade e de atentados contra povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e jornalistas.

– Realização de diligência externa em Manaus e em Atalaia do Norte, com o objetivo de investigar as causas do aumento da criminalidade e de atentados contra povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e jornalistas na Região Norte e em outros estados, além de acompanhar as investigações sobre os homicídios do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips.

– Pedido de garantia de proteção e segurança a integrantes de entidades e servidores que atuam na terra indígena Vale do Javari.

– Audiência pública para debater as causas do aumento da criminalidade e de atentados na região Norte.

– Compartilhamento automático e acompanhamento dos trabalhos junto à CDH.

Fonte: Pleno News