Diante do pouco espaço do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entre os evangélicos, o pastor Paulo Marcelo Schallenberger, que apoia o petista, vai investir na figura de Geraldo Alckmin para atrair líderes de igrejas menores para a campanha.

Schallenberger “reconhece” que os pastores mais influentes e das maiores denominações já são aliados ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

– Queremos fazer cafés com mil, dois mil pastores anônimos, que têm ministérios independentes em vários lugares do Brasil. Os grandes já estão com o bolsonarismo – disse Schallenberger.

A estratégia terá início no próximo dia 29, em encontro do candidato a vice na chapa de Lula com líderes neopentecostais em Itaquaquecetuba, em São Paulo. Os pastores Abdias Brandão, do Ministério Cura Divina, e Simplício Neto, do Ministério é Tempo de Santificação, estarão entre os presentes.

Ainda de acordo com Schallenberger, Alckmin possui abertura com alguns pastores de São Paulo pelo fato de ele já ter sido governador do estado. Durante sua gestão, alianças foram construídas.

Vale lembrar que na semana passada o pastor José Wellington Bezerra da Costa Júnior revelou que o ex-presidente Lula não será recebido.

Nas Assembleias de Deus Ministério Belém, o ex-presidente Lula já é persona non grata. O pastor José Wellington Bezerra da Costa Júnior revelou que o petista está proibido de fazer propaganda política na denominação.

Fonte: Pleno News