Nesta quarta-feira (27), o ex-presidente Michel Temer comentou a decisão de Jair Bolsonaro de conceder um perdão ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) e lamentou que o presidente não seguiu seu conselho. Em entrevista ao jornal O Globo, Temer afirmou que o caso já estaria “pacificado” caso Bolsonaro tivesse revogado a medida e esperado.

Daniel Silveira foi condenado pelo Supremo a oito anos e nove meses de prisão por “criticar” membros da Corte. No entanto, Bolsonaro acabou assinando um decreto de graça constitucional em benefício do parlamentar.

Após a medida, Temer divulgou uma nota pública aconselhando Bolsonaro a revogar o perdão e esperar o trânsito em julgado do caso para depois conceder a graça. O presidente, no entanto, respondeu nas redes sociais com um “não”.

– Soltei aquela nota com o objetivo de tentar pacificar. Estaria pacificado se ele [Bolsonaro] ouvisse aquilo lá e dissesse: ‘Vou revogar e esperar o trânsito em julgado’. Mas ele resolveu não atender – explicou Temer.

O ex-presidente ainda defendeu a necessidade de diálogo para se chegar a uma “harmonia” entre os poderes.

– Precisa de diálogo, porque a harmonia entre os Poderes também se faz mediante diálogo constante. Neste momento, o Executivo e Judiciário têm que dialogar e não podem se afastar um do outro. É o diálogo que resolve. Não há outra solução para encontrar uma solução comum. Temos instituições sólidas – destacou.

Fonte: Pleno News