Após a cantora Anitta alcançar o topo das mais tocadas do Spotify com a música Envolver, a deputada distrital Júlia Lucy criticou a música em suas redes sociais. Em um vídeo publicado no Instagram, a parlamentar afirmou que não se sente representada por Anitta, mas que sente “vergonha”.

Para Júlia Lucy, Envolver reforça “o velho papel que a mulher brasileira sempre ocupou: papel de mulher gostosa, papel de objeto a ser consumido”.

– Eu sou uma mulher livre, independente, luto por mulheres, mas não me sinto representada. Na realidade, sinto vergonha. E espero que as meninas não se espelhem no papel da Anitta e se espelhem em mulheres que quebram paradigmas e que fogem desse lugar-comum de objeto – destacou.

A parlamentar ainda lamentou que Anitta seja um ícone do “feminismo liberal”.

– Não há dúvidas de que Anitta é talentosa, porém esse incentivo à objetificação do corpo das mulheres é algo que me envergonha. Ela ganha o dinheiro dessa forma, mas vamos refletir sobre o que isso representa para nós, brasileiras. Qual é a imagem que se vende lá fora? De que a mulher brasileira é para sexo. Não sinto qualquer orgulho e lamento profundamente que ela hoje seja ícone do feminismo liberal – apontou.

Fonte: Pleno News