Nesta semana, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve participar de um evento na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Se depender do deputado estadual Alexandre Freitas (Podemos-RJ), no entanto, o petista não deverá poder comparecer ao encontro Democracia e Igualdade para um novo modelo de desenvolvimento.

O parlamentar decidiu acionar a Justiça do Rio de Janeiro e também o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suspender o evento da UERJ. Em sua ação popular, Alexandre Freitas diz que o reitor da universidade, Ricardo Lodi, “busca promover verdadeiro evento político–partidário com recursos e espaço públicos”.

De acordo com o deputado, Lodi, que se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT) recentemente, será o anfitrião do encontro na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Além de Lula, estão previstas ainda participação da ex-presidente Dilma Roussef, da presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), outras lideranças da sigla e ainda políticos de esquerda de outros países.

Alexandre Freitas considera que o reitor está “avançando em sua função administrativa de gestão de uma fundação pública estadual, mantida com recursos públicos e que deveria observar de forma estrita a moralidade administrativa como preceito constitucional, inclusive por se tratar de um jurista”.

– Esse tipo de evento é um exemplo nítido de campanha antecipada, além de um desvio de finalidade da universidade já que o reitor Ricardo Lodi parece se utilizar de seu cargo e das estruturas da UERJ para divulgar e celebrar um presidencial em ano de eleição – apontou o deputado.

Deputado Alexandre Freitas Foto: Divulgação/Alerj

Fonte: Pleno News