Nesta sexta-feira (18), o presidente da República, Jair Bolsonaro, participou da cerimônia de entrega da Medalha do Mérito Indigenista. Ele foi um dos 26 agraciados com a insígnia, ofertada a pessoas que prestaram relevantes trabalhos em favor dos povos indígenas. As informações são da Agência Brasil.

Além do presidente, receberam a medalha os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno; da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos; da Defesa, Braga Netto; da Agricultura, Tereza Cristina; Da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves; e da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, além do advogado-geral da União, Bruno Leal, indígenas, do presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, e de servidores de outros órgãos.

Pouco antes da cerimônia, o chefe do Executivo, que foi presenteado com um cocar, posou para fotos com alguns indígenas presentes no evento. Nas imagens é possível ver Bolsonaro acompanhado do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

– É um evento ímpar, me sinto muito feliz com este cocar graciosamente me ofertado – disse o presidente da República.

Ao discursar, Bolsonaro lembrou que indígenas e não indígenas são iguais.

– O que sempre quisemos foi fazer com que vocês se sentissem exatamente como nós. Queremos que vocês façam em suas terras exatamente o que nós fazemos na nossa – afirmou.

Durante a cerimônia, o ministro da Justiça e Segurança Pública rebateu críticas à atuação do governo na defesa e na promoção de direitos dos povos indígenas. Torres citou ainda diversas operações realizadas por órgãos de controle, como a Polícia Federal (PF), em terras indígenas.

– É leviano quem diz que haver nesse governo desmonte das ações para assegurar direito dos povos indígenas – falou ele.

O ministro afirmou ainda que, em 2021, a PF realizou operações contra o garimpo ilegal, o desmatamento, as queimadas e a invasão de terras indígenas.

Fonte: Pleno News