O ex-presidente da concessionária Ecovias, Marcelino Rafart de Seras, citou o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em uma delação premiada. Segundo o executivo, Alckmin, cotado a vice de Lula nas próximas eleições, recebeu R$ 3 milhões via caixa 2. A Polícia Federal investiga o caso.

Marcelino conseguiu um acordo judicial para não ser condenado após expor um possível cartel entre concessionárias de rodovias do estado de SP. A Ecovias é a gestora do sistema Anchieta-Imigrantes, uma das principais vias do estado. O suposto crime de caixa 2 será analisado pela Delegacia de Defesa Institucional (Delinst).

De acordo com o executivo, Alckmin recebeu um total de R$ 1 milhão em 2010 – quando foi eleito governador de SP. Ainda segundo o chefe da Ecovias, o montante foi pago em dinheiro ao cunhado de Alckmin, o Adhemar Ribeiro.

A segunda parte do valor, cerca de R$ 2 milhões, teria sido paga em 2014, e teve como intermediador o ex-tesoureiro de Alckmin, Marcos Monteiro. Neste mesmo ano, o então tucano foi reeleito governador de SP.

Alckmin ainda não comentou sobre a acusação.

Fonte: Pleno News