Com a abertura da janela partidária, no último dia 3 de março, o chamado “efeito Bolsonaro” ficou ainda mais evidente com a gradativa migração de parlamentares que antes eram do PSL, agora União Brasil, para o novo partido do chefe do Executivo, o PL. No último sábado (12), esse “efeito” se tornou cristalino com nada menos que 11 migrações do União Brasil para o PL em um único evento.

Em uma cerimônia realizada na manhã de sábado, vários integrantes da bancada de apoio ao presidente da República oficializaram a mudança para o partido pelo qual Bolsonaro disputará as eleições presidenciais deste ano. Entre os nomes, estiveram principalmente deputados de estados da Região Sudeste, como Carlos Jordy (RJ), Luiz Lima (RJ) e Marcelo Álvaro Antônio (MG).

Ao longo da janela partidária, o PL já atraiu 18 deputados. A expectativa é que mais parlamentares se filiem à legenda até o fim da janela, que ocorrerá no dia 1° de abril. Ao longo desta semana, são esperadas as filiações de deputados federais como Bia Kicis, Carla Zambelli, Eduardo Bolsonaro, Aline Sleutjes, Caroline de Toni, Coronel Armando e do ministro da Justiça, Anderson Torres.

– O PL com certeza vai passar de 60 deputados e vai ser o maior partido da Casa. Isso é fato. Pelo número mais baixo que a gente tem. O União Brasil é o partido que mais está perdendo deputados e deve cair abaixo de 50, acredito que será o terceiro partido da Câmara – declarou o deputado Coronel Tadeu (SP), um dos parlamentares que se filiaram no sábado.

Confira a lista dos parlamentares que eram do União Brasil e se filiaram ao PL no último sábado:

Carlos Jordy (RJ)
Márcio Labre (RJ)
Luiz Lima (RJ)
Charles Evangelista (MG)
Coronel Tadeu (SP)
Nelson Barbudo (MT)
Sóstenes Cavalcante (RJ)
Coronel Chrisóstomo (RO)
Marcelo Álvaro Antônio (MG)
Loester Trutis (MS)
Capitão Alberto Neto (AM)

Fonte: Pleno News