Durante conversa com apoiadores em Brasília (DF), nesta terça-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a Globo. Ele se manifestou a respeito de uma informação divulgada pelo portal G1 e pela GloboNews a respeito da queda nos casos de homicídio em 2021.

– Vocês viram ontem no Jornal Nacional? Mandaram para mim porque eu não assisto àquela porcaria [do] Jornal Nacional, né. [Citando uma especialista, a repórter] Disse que a causa da diminuição de homicídio no Brasil é que os traficantes estão mais civilizados, estão matando menos. Se tivesse aumentado [o número de homicídios], ia ser [apontada] a questão do armamento, né – falou o presidente.

Em uma edição do Estúdio i, da GloboNews, a jornalista Carol Prado foi chamada na tela pela apresentadora Maria Beltrão para falar sobre uma notícia sobre a queda no número de assassinatos no Brasil. O índice nacional de homicídios, criado pelo G1 com base em dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal, apontou queda de 7% no número de assassinatos no Brasil em 2021, em comparação ao ano anterior.

Para compreender melhor a redução no número de mortes em 2021, a equipe da GloboNews entrevistou Samira Bueno, que é diretora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Porém, um problema técnico impediu que o áudio da especialista ficasse disponível no programa.

Foi então que Carol Prado voltou a fornecer informações sobre o assunto, citando alguns destaques apontados por Samira.

– Bom, a gente não conseguiu ouvir a Samira. Eu vou dar sequência. Ela [Samira] destacou um ponto importante aqui, Maria [Beltrão]: que muito da redução desse número de mortes vem de mudanças dentro da própria criminalidade. Grupos de traficantes de drogas se expandiram, se tornaram mais profissionais e passaram a adotar uma estratégia de menos mortes e [de] chamar menos atenção. Isso acabou diminuindo o número de conflitos e, consequentemente, de mortes também. Essa redução não foi igual para o país inteiro. Seis estados tiveram aumento de mortes violentas, sendo que quatro deles estão na Região Norte, que foi a única no país que teve alta no número de assassinatos. E especialistas dizem que isso tem a ver com uma fragilidade das instituições de fiscalização aí nessa região.

A parte da explicação, que destaca que “grupos de traficantes de drogas se expandiram, se tonaram mais profissionais” foi alvo de críticas nas redes sociais.

Fonte: Pleno News