Nesta sexta-feira (11), o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse que considera ser real a possibilidade de deflagração de um conflito armado provocado pela Rússia na Ucrânia. Ele se pronunciou a respeito do assunto enquanto estava na base aérea Mihail Kogalniceanu, na Romênia, e concedeu entrevista coletiva junto com o presidente do país do Leste Europeu, Klaus Iohannis. As informações são da agência EFE.

– Existe o risco de uma invasão em grande escala, mas também de outro tipo de ações agressivas, como tentativas de derrubar o governo de Kiev, ataques cibernéticos e outras formas de ataques – disse.

Ainda segundo o secretário-geral, a Otan tem certeza que a Rússia continua acumulando tropas nas fronteiras com a Ucrânia.

– Temos visto a retórica ameaçante da parte russa e sabemos que há inúmeros agentes de inteligência russos operando dentro da Ucrânia – falou Stoltenberg.

Esses fatores, somados a experiências anteriores em que a “Rússia usou a força contra a Ucrânia” e outros países vizinhos, fazem pensar que a possibilidade de uma guerra iminente é uma realidade no momento.

Na Romênia, Stolteberg participou de um ato para recepcionar mil soldados americanos que começaram a chegar nesta sexta-feira ao país, vindos da Alemanha. A presença dos militares triplica o efetivo no país, com o objetivo de reforçar a capacidade defensiva da Otan no Mar Negro.

O secretário-geral da Otan também saudou soldados alemães e italianos que operam aviões na base Mihail Kogalniceanu, localizada a cerca de 500 quilômetros ao oeste da península da Crimeia, que foi anexada pela Rússia em 2014.

Stoltenberg confirmou ainda a chegada de caças espanhóis à Bulgária, que reforçarão a segurança aérea da nação do Leste Europeu, que entrou na Otan junto com a Romênia, em 2004.

Fonte: Pleno News