O ex-presidente Lula (PT) culpou, de forma indireta, o governo do presidente Jair Bolsonaro pela morte do congolês Moïse Kabagambe, brutalmente espancado no último dia 24 de janeiro, em um quiosque no Rio de Janeiro. Em um vídeo publicado nas redes sociais, o petista afirmou que o crime foi “resultado de um país que está sendo governado por um fascista”.

– Isso [o crime] é resultado de um país que está sendo governado por um fascista e por muitos milicianos. Na verdade, uma parte da bandidagem está governando este país – disse.

Após a declaração, diversos políticos repudiaram a associação feita por Lula. Nas redes sociais, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) afirmou que “só um psicopata” poderia politizar a morte brutal do congolês Moïse.

– Lula culpa o presidente Bolsonaro pelo assassinato do congolês Moïse, espancado num quiosque da Barra da Tijuca. Só um psicopata poderia querer utilizar uma morte terrível como essa com fins políticos – escreveu.

Fonte: Pleno News