Nesta quinta-feira (27), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o presidente Jair Bolsonaro deve prestar depoimento à Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (28). Ele rejeitou um pedido apresentado por Bolsonaro para evitar ter que falar à PF no inquérito que apura o vazamento de documentos sigilosos.

Em sua decisão, Moraes definiu que o presidente seja ouvido à partir das 14h.

O inquérito foi aberto em agosto de 2021, após Bolsonaro divulgar, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, uma cópia de um inquérito referente a uma investigação sigilosa da PF sobre um ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ataque ocorreu em 2018.

Em sua decisão, Moraes determinou que Bolsonaro seja ouvido nesta sexta e que a PF conclua o inquérito logo após o depoimento.

Não tendo o Presidente da República indicado local, dia e horário para a realização de seu interrogatório no prazo fixado de 60 (sessenta) dias, determino sua intimação, por intermédio da AGU (conforme solicitado no item “V-v” de sua petição), para que compareça no dia 28/1/2022, às 14h00, para prestar depoimento pessoal, na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal”, escreveu o ministro.

Fonte: Pleno News