De acordo com dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), nos últimos sete dias foram registrados quase 19 milhões de casos de Covid-19 em todo o planeta. O número é o dobro do registrado na primeira semana de janeiro. O aumento de casos se deve à variante Ômicron do coronavírus.

A OMS alertou que a variante não será a última e que deixar o vírus circular pode ser perigoso, podendo acarretar o surgimento de novas cepas.

O diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom, criticou ainda a postura de alguns países que relaxaram diante da Ômicron. Ele teme que populações não vacinadas sofram impactos maiores.

– A variante pode ser menos severa, mas a narrativa de que ela é suave é equivocada e causa mais morte. Nesse momento, a vacina é fundamental – disse.

A OMS também disse que a pandemia está longe de acabar e que ainda não é sequer possível saber quantas doses de vacina anticovid são necessárias para proteger a população da doença. Para o órgão de Saúde, a aplicação das doses de reforço de vacina também são problemáticas, considerando que há países em que a maioria da população não conseguiu receber nem mesmo a primeira dose de imunizante.

A OMS avalia que as próximas semanas serão “críticas” e pede que os governos mantenham medidas de restrição da circulação do vírus. Para a Organização, “não é hora de desistir e levantar a bandeira branca”.

A diretora técnica da OMS, Maria van Kerkhove, fez ainda um apelo para que os países não afrouxem as medidas de prevenção à Covid.

– Não abandonem a ciência. Não podemos acreditar em falsas esperanças. Trata-se de um vírus perigoso – insistiu.

Fonte: Pleno News