O presidente Jair Bolsonaro (PL) se reunirá em fevereiro com o primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán, líder conservador, em Budapeste. O encontro tem como objetivo “estreitar os laços de cooperação, amizade e relações bilaterais” entre o Brasil e a Hungria, além de “reforçar os ideais de defesa das nações e dos valores cristãos”, defendidos por ambos políticos.

Segundo o jornal Azonnali, mantido pelo governo húngaro, a reunião entre os líderes ocorrerá após a visita de Bolsonaro ao presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Além da proximidade de ideais, Bolsonaro e Orbán encaram eleições este ano. Em abril, a Hungria terá seus pleitos parlamentares, quando o atual primeiro-ministro terá a chance de obter seu quarto mandato consecutivo. Orbán ocupa a cadeira desde 2010, mas também já exerceu o cargo entre 1998 e 2002. No Brasil, Bolsonaro disputa a reeleição pelo PL.

A proximidade com Viktor Orbán vem de longa data. O primeiro-ministro húngaro esteve presente na cerimônia de posse de Bolsonaro em 2019. Posteriormente, no mesmo ano, o nome de Orbán esteve na lista de embaixadores estrangeiros e de nações que receberam visitas do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Na mesma viagem, o deputado também encontrou outro líder da direita, o vice-premier da Itália, Matteo Salvini.

Para Eduardo, a forma como Orbán vem atuando contra a oposição e a imprensa local deveria ser uma “referência” para o Brasil.

VIAGEM A CONVITE
Em fevereiro, Bolsonaro tem uma viagem programada para a Rússia a convite do presidente russo, Vladimir Putin. Em live, Bolsonaro declarou que encara a viagem como uma oportunidade para a economia brasileira, devido à dimensão do mercado russo.

*AE

Fonte: Pleno News