O ex-ministro da Justiça Sergio Moro voltou a defender, nesta terça-feira (11), os processos que liderou contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da Lava Jato. Mesmo tendo sido considerado parcial em suas condenações, o ex-juiz destacou que “nunca teve problema pessoal” com o petista.

– Nunca foi algo pessoal. Agora, se você tem escândalo de corrupção sucessivos durante o seu governo –que foi o caso do Lula e do PT–, mensalão, petrolão, […] favores recebidos de empreiteiras que tinham contratos da Petrobras. Você tem que responder pelos seus atos. Não existe ninguém acima da lei. Se a gente não der esse passo civilizatório, a gente não segue em frente como país – lembrou Moro em entrevista ao jornalista Mário Kertész, da Rádio Metrópole, de Salvador.

O ex-magistrado não citou a decisão do Supremo Tribunal Federal, que o considerou “suspeito” nas decisões contra Lula, mas reforçou que sua sentença foi endossada por outras instâncias e tribunais.

– Eu proferi uma sentença contra ele por crime de corrupção. A minha sentença foi confirmada pelo Tribunal em Porto Alegre, por 3 outros juízes […]. Depois foi confirmado por 5 magistrados no Superior Tribunal de Justiça. E só foi expedido mandado de prisão depois que a condenação dele foi confirmada pelo Tribunal em Porto Alegre – afirmou o ex-juiz da Lava Jato.

Fonte: Pleno News