O tenista número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, está livre para deixar o hotel na cidade de Melbourne, onde está detido desde quarta-feira (5) após o cancelamento de seu visto, para voltar sempre que quiser ao seu país de origem, disse nesta quinta-feira (6) a ministra do Interior da Austrália, Karen Andrews.

Djokovic, que chegou a Melbourne na quarta-feira à noite com uma isenção médica que lhe permitiu defender seu título do Aberto da Austrália sem precisar comprovar vacinação contra a Covid-19, está detido em um hotel administrado pelas autoridades de imigração, aguardando que a Justiça australiana trate na segunda-feira (10) um recurso contra sua deportação.

– O Sr. Djokovic não está prisioneiro na Austrália porque ele está livre para partir a qualquer momento que decidir fazê-lo e a Força de Fronteira certamente irá facilitar isso – disse Andrews em uma entrevista à emissora pública australiana ABC.

O comentário foi feito depois que o Ministério das Relações Exteriores sérvio apresentou um protesto formal na quinta-feira ao embaixador australiano na Sérvia, Daniel Emery, pelo “tratamento indecente” que o tenista está recebendo em Melbourne.

De acordo com um comunicado do governo, a Sérvia espera que Emery faça um esforço pessoal para que Djokovic obtenha acomodação adequada para um atleta de sua categoria enquanto aguarda a decisão do tribunal.

A Ministra do Interior australiana também defendeu a decisão das autoridades de imigração que concederam ao sérvio de 34 anos um visto e posteriormente o revogaram, uma vez que foi determinado quando ele chegou ao país que ele não tinha provas suficientes para demonstrar que atende aos requisitos impostos na Austrália pela pandemia Covid-19.

– É responsabilidade da pessoa garantir que tenha toda a documentação necessária para entrar na Austrália – completou Andrews.

*AE

Fonte: Pleno News