Considerado o principal “expoente” da chamada terceira via nas eleições presidenciais deste ano, o ex-juiz Sergio Moro não parece estar com a candidatura tão certa quanto parece. De acordo com a colunista Carolina Brígido, do UOL, fontes próximas ao ex-ministro apontaram que ele sairá da briga pelo Planalto e adotará um plano B, caso não alcance 15% nas pesquisas até fevereiro.

Segundo a colunista, o tal plano alternativo seria uma candidatura ao Senado. Uma outra convicção no entorno do ex-juiz seria a de que ele precisa ter um mandato no próximo ano, seja ele qual for, especialmente após o ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), mandar a consultoria americana Alvarez & Marsal revelar detalhes sobre os valores pagos a Moro.

No Twitter, porém, o ex-ministro rebateu a informação dada pela colunista e disse ser “pré-candidato à Presidência, não ao Senado”. Moro disse ainda que não teme qualquer investigação que envolva seu nome e que está “focado na construção de projetos para o Brasil”.

Moro nega que possa vir a ser candidato ao Senado Foto: Reprodução/Twitter

A investigação sobre a atuação de Moro na consultoria foi motivada por uma solicitação do subprocurador-geral do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Furtado, que pediu ao ministro Dantas que solicitasse dados da Alvarez & Marsal pela suspeita que o ex-juiz tenha atuado em um cenário de “conflitos de interesses, favorecimentos, manipulação e troca de favores”.

Fonte: Pleno News