O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), informou que irá ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que o presidente Jair Bolsonaro devolva o dinheiro que está gastando em suas férias em São Francisco do Sul (SC).

De acordo com o parlamentar, a intenção é que o valor seja destinado às vítimas das chuvas na Bahia. Randolfe também pretende convocar o ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, será convocado para dar explicações no Senado.

– Enquanto nosso povo padece com fome, desemprego, alta de preços, epidemia, e, como na Bahia, com desastres naturais, Bolsonaro tirou férias! Sim! Omisso a tudo isso, achou merecer folga, como uma grande piada com o povo brasileiro. VAI TRABALHAR, Bolsonaro! – publicou Randolfe no Twitter, indignado com o descanso do presidente.

Randolfe é um dos parlamentares já tradicionalmente críticos ao governo que cobraram do chefe do Executivo a interrupção de seu período de descanso.

– Não entendo as críticas ao Bolsonaro por ele estar de férias. Ele está fazendo a mesma coisa que faz quando não está de férias: NADA – ironizou o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

Bolsonaro embarcou nesta terça-feira (28) para São Francisco do Sul com a primeira-dama, Michelle, e a filha Laura, de 11 anos. ELes deverão retornar à capital federal no dia 3 de janeiro.

FÉRIAS DE PRESIDENTES
Bolsonaro não é o primeiro presidente da República a desfrutar de um período de descanso. Em 2014, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) viajou para a Base Naval de Aratu, na Bahia, para descansar após a campanha eleitoral. A petista teve o Nordeste como constante destino durante seu mandato. O ex-presidente Lula (PT) também tinha o costume de passar o fim do ano na mesma base naval.

A Constituição brasileira não é específica sobre o direito de férias para representantes do governo federal. No Brasil, o líder do Executivo costuma aproveitar o recesso do Poder Legislativo no fim do ano para passar alguns dias sem cumprir agenda oficial, mas sem se afastar oficialmente de sua função pública.

Fonte: Pleno News