Nesta quinta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro explicou o motivo de o governo federal ter recusado a oferta de ajuda do governo argentino às cidades afetadas pelas chuvas no sul da Bahia. O chefe do Executivo ressaltou que o Brasil não está fechado às doações internacionais.

Por meio de uma publicação no Instagram ilustrada pelas bandeiras dos dois países, Bolsonaro esclareceu que o país vizinho “ofereceu assistência de 10 homens (‘capacetes brancos’) para o trabalho de almoxarife e seleção de doações, montagem de barracas e assistência psicossocial à população afetada pelas enchentes na Bahia”.

O presidente afirmou que “o fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada, inclusive com o apoio de 3 helicópteros da Marinha”.

Desta forma, o governo brasileiro avaliou que, neste caso, a oferta não seria necessária neste momento, mas ressaltou que a ajuda “poderá ser acionada oportunamente, em caso de agravamento das condições”.

Bolsonaro ressaltou ainda que “a resposta do Ministério das Relações Exteriores à Embaixada Argentina é clara a esse respeito”.

O presidente brasileiro lembrou que o Brasil aceitou, nesta quarta-feira (29), doações de barracas de acampamento, colchonetes, cobertores, lonas plásticas, galões plásticos e purificadores de água feitas pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) para auxiliar nos trabalhos executados na Bahia e disse que o governo Brasileiro “está aberto à ajuda e [às] doações internacionais”.

Ainda de acordo com Bolsonaro, as doações “chegarão à Bahia por via aérea e/ou serão adquiridos no mercado brasileiro”.

Fonte: Pleno News