Nesta terça-feira (23), o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) retornou à Câmara dos Deputados e encontrou o deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS). Ao ser questionado pelo colega se poderia conceder uma entrevista, Daniel Silveira afirmou que não poderia falar por ter sido “censurado”.

A medida foi uma crítica à decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que, ao conceder liberdade a Daniel Silveira, proibiu-o de conceder entrevistas sem autorização da Justiça.

Silveira foi preso em fevereiro, após ter publicado um vídeo com críticas aos ministro do STF e defendendo o AI-5. Ele chegou a cumprir prisão domiciliar, mas acabou preso novamente em junho após violar a tornozeleira eletrônica.

– Não dá pra falar. Estou censurado. Sou um deputado censurado – explicou Daniel Silveira ao ser questionado por Bibo Nunes.

Na sequência, Bibo Nunes afirmou que iria apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para aumentar o número de ministros do STF.

– Estou apresentando uma PEC, pedindo para ter 15 ministros em vez de 11. Quinze porque eles dizem que tem trabalho demais, então põe mais quatro. Assim, o presidente Jair Bolsonaro poderia indicar mais quatro […] E também acaba com essa história de o presidente escolher um indicado para o STF, e o presidente do Senado escolher a hora que quiser [para a sabatina]. Serão 60 dias, ou é automaticamente colocado. E também tem outro parágrafo onde nós [do Congresso] estaremos fiscalizando o Poder Judiciário – destacou.

Fonte: Pleno News