O deputado estadual Bruno Engler (PSL-MG) expôs uma denúncia feita por uma sócia do Minas Tênis Clube, que acaba de demitir Maurício Souza por acusações de homofobia.

De acordo com a denúncia, no clube é permitido que mulheres trans (biologicamente homens, mas que se consideram mulheres) frequentem o mesmo banheiro que mulheres e meninas em suas dependências.

– Parece que a questão da censura aos conservadores era só a ponta do iceberg – disse o parlamentar, que gravou um vídeo em frente ao clube, portando um email impresso da sócia que fez a denúncia.

No documento, a mulher pergunta sobre como é a questão dos transgêneros frequentarem os banheiros do clube. O estabelecimento respondeu que o Brasil ainda não tem lei que defina esse tema e que eles estariam aguardando decisão do STF. Ou seja, até que haja uma definição legal, pessoas trans poderão usar o banheiro que bem lhes aprouver.

O parlamentar também mostrou que crianças precisam ir ao banheiro acompanhada dos pais ou responsáveis até os 6 anos. A partir do 7 anos, elas podem frequentar banheiros de adultos sozinhas.

– Não tem lei nenhuma que obrigue o clube a permitir que homens biológicos frequentem banheiro feminino. Pelo contrário,o PT tentou passar essa lei na Assembleia e nós derrubamos – disparou o deputado, indignado e cobrando uma resposta da diretoria.

Fonte: Pleno News