Nesta quinta-feira (21), durante sua tradicional live pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o auxílio que seu governo irá conceder aos caminhoneiros. Ele informou que o valor de R$ 400 será destinado a cerca de 750 mil profissionais.

O presidente abordou o assunto ao falar sobre o preço dos combustíveis e sobre um possível reajuste no diesel.

– A inflação é horrível? É péssima. Mas pior é o desabastecimento (…) Havendo um reajuste, está decidido. Vamos dar um auxílio de R$ 400. Isso é muito? É pouco? É o possível no momento – explicou.

Na sequência, Bolsonaro citou a debandada de secretários do Ministério da Economia, mas disse que as reformas irão continuar.

– Agora, tem secretário, como acontece as vezes com ministro, que quer fazer sua vontade. Então o ministro deu uma decisão. Vamos gastar, dentro do teto, porque as reformas continuam – ressaltou.

Ele então lembrou do teto de gastos e garantiu que ele será cumprido.

– Nós temos um teto de gastos. Foi no governo Temer que apareceu um teto de gastos. Nos governos anteriores não tinha teto. Era pegar, dar uma canetada e tava tudo resolvido. Problema nenhum (…) Temos que cumprir o teto de gastos. Não queremos o desequilíbrio – apontou.

O presidente ainda rebateu as críticas que tem recebido.

– Tem um pessoal fustigando o tempo todo. Querem derrubar o presidente (…) Tem muita gente que está com saudades da corrupção

Fonte: Pleno News