Um ex-comandante do serviço de inteligência da Venezuela denunciou à Justiça da Espanha que os governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro financiaram ilegalmente partidos e políticos de esquerda na América Latina e em países da Europa. Entre os beneficiados estariam o ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Néstor Kirchner, da Argentina, e Evo Morales, da Bolívia.

O general chavista Hugo Armando Carvajal Barrios, também conhecido como Pollo Carvajal, foi preso em Madri, em setembro deste ano. Ele era considerado um dos fugitivos mais procurados dos Estados Unidos por tráfico de drogas. Além do governo Chávez, Carvajal serviu ao ditador Nicolás Maduro. Ele aguarda preso na Espanha a decisão sobre sua extradição.

– Enquanto era diretor da inteligência militar e contraespionagem na Venezuela, recebi um grande número de relatórios indicando que esse financiamento internacional estava ocorrendo. Exemplos específicos são: Néstor Kirchner, na Argentina; Evo Morales, na Bolívia; Lula da Silva, no Brasil; Fernando Lugo, no Paraguai; Ollanta Humala, no Peru; (Manuel) Zelaya, em Honduras; Gustavo Petro, na Colômbia; o Movimento Cinco Estrelas, na Itália; e o Podemos, na Espanha. Todos eles foram relatados como destinatários de dinheiro enviado pelo governo venezuelano – citou.

Ainda segundo o general, o esquema de repasses para a manutenção de governos e de políticos de esquerda durou pelo menos 15 anos.

A assessoria do ex-presidente Lula negou as denúncias em nota.

– O ex-presidente Lula teve todos os seus sigilos quebrados e analisados ao longo de anos, e nenhuma irregularidade ou valor ilegal foi encontrado em suas contas – diz o comunicado.

Fonte: Pleno News